Chá Verde - Redução dos Radicais Livres

Por possuir elementos com propriedades anti-oxidantes, o extrato de Chá Verde tem sido proposto como uma forma de combater o stress oxidativo das fibras musculares e como consequência, sua necrose.

Seguem abaixo dois trabalhos desenvolvidos na Universidade de Genebra, Suiça.

1. Chá verde aumenta a força muscular em camundongos com Distrofia Muscular

Essência de chá verde e seu principal polifenol – epigallocatechin gallate (anti-oxidante) em sua composição melhoram a função muscular numa experiência em camundongos sobre a distrofia muscular Duchenne.

Dorchies OM, Wagner S. Vuadens O, Waldhauser K. Buetler TM, Kucera P. Ruegg UT.

Laboratório de Farmacologia, Escola de Ciências Farmacêuticas de Genebra-Lausanne, Universidade de Genebra, Suiça.

A distrofia muscular Duchenne é uma freqüente desordem muscular causada por mutações no gene que codifica a distrofina, uma proteína do citoesqueleto que contribui para a estabilização da membrana da fibra muscular durante a atividade do músculo. Pessoas afetadas pela enfermidade apresentam perda muscular progressiva que geralmente leva à morte por volta dos 30 anos de idade. Neste estudo, foram usados camundongos com distrofia mdx(5Cv)  para investigar os efeitos da essência de chá verde, seu polifenol  principal – epigallocatechin gallate – e a pentoxifilina na qualidade  e função do músculo distrófico. Camundongos mdx(5Cv) nascidos há três semanas foram alimentados por uma ou cinco semanas com comida comum, para controle, ou contendo substâncias para teste. Exames histológicos mostraram um retardamento na necrose do músculo longus digitorum extensor nos camundongos sob observação. As propriedades mecânicas dos músculos tríceps surais foram gravadas em vídeo enquanto os camundongos estavam sob anestesia profunda. As tensões de fase e as tetânicas dos camundongos aumentavam, atingindo valores próximos aos de camundongos normais. A proporção entre tensões de fase e tetânicas era corrigida. Finalmente, os músculos dos camundongos da experiência mostravam entre 30 e 50% de força residual quando exigidos até a fadiga. Estes resultados demonstram que a suplementação dietética dos camundongos distróficos mdx(5Cv) com essência de chá verde ou epigallocatechin gallate protegeram seus músculos contra a primeira onda massiva de necrose e estimularam a adaptação do músculo ao um fenótipo mais forte e mais resistente.  

Tradução: Arquimedes Luiz
Fonte: http://www.distrofiamuscular.net

2. Efeito do chá verde em um modelo experimental de distrofia muscular

(Clique aqui para ler o texto no site PubMed)


Suiça - O papel dos radicais livres na patogenia da Distrofia Muscular tem sido muito estudado. Neste trabalho foi utilizado o chá verde por 4 semanas em camundongos em um modelo experimental de distrofia muscular. O extrato de chá verde reduz significantemente e dose dependente a necrose das fibras musculares rápidas mas até a dose testada não teve efeito nas fibras musculares lentas. O extrato de chá verde também diminui dose dependente o stress oxidativo em cultura de células. A dose mínima utilizada em camundongos corresponde a aproximadamente a dose de 1,4L de chá/dia em humanos. Os autores concluem que o chá verde em camundongos pode melhorar a saúde do músculo por redução ou retardo da necrose por seu efeito antioxidante. (30/03/2002)

Fonte: Página particular do Dr. David Feder